top of page

Pós em Engenharia Clínica: onde e por que fazer?

O que faz um Engenheiro Clínico? Quais os melhores cursos em Engenharia Clínica? Como trabalhar na área da Engenharia Clínica? Qual o salário de um Engenheiro Clínico? Veja as principais dicas e informações da área.



O que é Engenharia Clínica?

Trata-se de uma área do conhecimento que deriva da engenharia biomédica e da engenharia elétrica e que foca na gestão de tecnologias de saúde, usando conhecimentos de engenharia e técnicas gerenciais para proporcionar uma melhoria nos cuidados dispensados ao paciente. É através da Engenharia Clínica que ocorre a estratégia de gestão da vida útil da tecnologia incorporada, maximizando, com segurança, a produção da equipe de assistência.

O que faz um Engenheiro Clínico?

O Engenheiro Clínico desenvolve bancos de dados e softwares para diagnóstico de doenças e realização de terapias.

É o profissional responsável por gerenciar a área que cuida dos equipamentos em operação em hospitais, clínicas médicas, centros de reabilitação e laboratórios. Além disso, ele avalia e especifica aparelhos que devem ser adquiridos, faz sua instalação, treina funcionários para operá-los, cuida da manutenção e dá suporte técnico quando necessário.

O Engenheiro Clínico é incumbido também de projetar, desenvolver, gerenciar e manter equipamentos odonto-médico-hospitalares, incluindo próteses e outros instrumentos de auxílio à locomoção.

Quais as principais atribuições de um Engenheiro Clínico?

  1. Gerenciamento de tecnologia médica: é responsável pela gestão do ciclo de vida dos equipamentos médicos, desde a seleção e aquisição até a retirada de serviço, bem como avaliar a eficácia e o custo-benefício de novas tecnologias, gerenciar contratos com fornecedores e garantir que os equipamentos estejam em conformidade com as regulamentações aplicáveis.

  2. Engenharia de software médico: atua no desenvolvimento, teste e validação de software usado em equipamentos médicos. Tem conhecimento de linguagens de programação, arquitetura de software e padrões de segurança para garantir que o software utilizado em equipamentos médicos seja seguro e confiável.

  3. Segurança cibernética em equipamentos médicos: garante que os equipamentos médicos estejam protegidos contra ataques cibernéticos, incluindo segurança de redes, protocolos de comunicação e análise de vulnerabilidades para garantir que os equipamentos médicos sejam seguros e protegidos contra possíveis ameaças.

  4. Engenharia clínica de imagem: está envolvido no desenvolvimento e manutenção de equipamentos de imagem médica, como tomógrafos, ressonância magnética e radiografia. O Engenheiro Clínico tem conhecimento em física, eletrônica e processamento de imagens para garantir que os equipamentos de imagem médica sejam seguros, eficazes e produzam imagens de alta qualidade.

Qual o salário de um Engenheiro Clínico?

O salário de um Engenheiro Clínico no Brasil pode variar bastante dependendo da região, da empresa onde trabalha, do tempo de experiência e da formação acadêmica. Segundo dados do site de carreiras Catho, a média salarial para Engenheiros Clínicos no Brasil é de cerca de R$ 6.500 a R$ 8.500 por mês, mas pode variar entre R$ 4.500 e R$ 12.000.


No entanto, é importante lembrar que esses valores são apenas uma referência e não refletem necessariamente a realidade de todos os Engenheiros Clínicos. Além disso, outros fatores como benefícios, bonificações e carga horária podem impactar o salário final do profissional.


Como se tornar um Engenheiro Clínico?

O Engenheiro Clínico é demandado por indústrias nacionais de equipamentos de saúde, assim como por multinacionais que fabricam esses equipamentos, entre elas GE, Siemens e Philips. Ele é contratado para elaborar projetos, executá-los ou fazer a manutenção de máquinas, como aparelhos de ultrassom, de mamografia e ressonância magnética. A área de regulamentação de equipamentos importados também gera uma boa demanda. O Engenheiro Clínico pode atuar também em empresas de certificação de qualidade, universidades e institutos de pesquisa.


Para trabalhar como Engenheiro Clínico, é necessário ter formação em Engenharias Elétrica, Civil, Mecânica, Automação ou Arquitetura . Algumas empresas e instituições exigem uma especialização ou pós-graduação em Engenharia Clínica. Além da formação acadêmica, é importante ter conhecimentos em tecnologia médica, normas de segurança e qualidade em saúde, e habilidades de comunicação e trabalho em equipe.


Para ingressar na carreira, é possível buscar oportunidades de trainee em hospitais, empresas de manutenção de equipamentos médicos ou empresas que prestam serviços de engenharia clínica. Também é possível buscar vagas em empresas de tecnologia médica ou em instituições de pesquisa. Manter-se atualizado e participar de eventos e cursos na área também é importante para se manter competitivo no mercado de trabalho.


Mercado de Trabalho para Engenheiros Clínicos: veja alguns exemplos de empresas onde trabalhar na área da Engenharia Clínica


Existem diversas empresas onde se pode trabalhar como Engenheiro Clínico, algumas das principais incluem:

  1. Hospitais e clínicas: muitos hospitais e clínicas brasileiros possuem departamentos de engenharia clínica, onde os engenheiros trabalham para garantir a segurança e eficácia dos equipamentos médicos.

  2. Empresas de equipamentos médicos: empresas que fabricam equipamentos médicos, como Philips, Siemens Healthineers, GE Healthcare, Toshiba Medical, e outras, possuem filiais no Brasil e empregam engenheiros clínicos em várias funções, desde o desenvolvimento de produto até o suporte técnico ao cliente.

  3. Empresas de serviços de manutenção de equipamentos: empresas que prestam serviços de manutenção e reparo de equipamentos médicos, como a Aramark Healthcare Technologies, a Philips Clinical Services e a TriMedx, empregam Engenheiros Clínicos em funções relacionadas a manutenção preventiva, diagnóstico e reparo de equipamentos.

  4. Empresas de tecnologia: empresas de tecnologia que fornecem soluções de saúde, como a IBM, a Microsoft e a SAP, possuem filiais no Brasil e empregam Engenheiros Clínicos em funções relacionadas ao desenvolvimento de software e hardware para aplicações de saúde.

  5. Instituições de pesquisa em saúde: instituições de pesquisa em saúde, como a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Instituto de Pesquisa Tecnológica (IPT), empregam Engenheiros Clínicos em projetos de pesquisa e desenvolvimento de tecnologia médica.

  6. Departamentos governamentais: departamentos governamentais relacionados à saúde, como o Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), podem empregar Engenheiros Clínicos em funções relacionadas a regulamentação e fiscalização de tecnologia médica.

Alguns hospitais no Brasil possuem um setor de Engenharia Clínica?

  1. Hospital Albert Sabin - Fortaleza, CE: O hospital tem um departamento de engenharia clínica que é responsável pela gestão de equipamentos médicos, manutenção preventiva e corretiva, além de treinamentos e qualificação de usuários.

  2. Hospital Israelita Albert Einstein - São Paulo, SP: O hospital possui um departamento de engenharia clínica que é responsável pela gestão de equipamentos médicos, manutenção preventiva e corretiva, além de treinamentos e qualificação de usuários.

  3. Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP - São Paulo, SP: O hospital é um dos maiores do país e possui um departamento de engenharia clínica que atua na manutenção, calibração, controle de qualidade e gestão de equipamentos médicos.

  4. Hospital Albert Sabin - Fortaleza, CE: O hospital tem um departamento de engenharia clínica que é responsável pela gestão de equipamentos médicos, manutenção preventiva e corretiva, além de treinamentos e qualificação de usuários.

  5. Universidade Federal da Bahia - Salvador, BA: A instituição tem um departamento de engenharia biomédica que desenvolve pesquisas, projetos e presta serviços técnicos em saúde, além de oferecer cursos de graduação e pós-graduação na área.

  6. Multi Tecnologia - Recife, PE: A empresa presta serviços de manutenção preventiva e corretiva em equipamentos médicos, além de oferecer consultoria em engenharia clínica.


Quais os melhores cursos e especializações em Engenharia Clínica? Conheça os melhores cursos de Engenharia Clínica no Brasil e no mundo:

  1. Mestrado em Engenharia Biomédica - oferecido pela Universidade de Oxford - Inglaterra.

  2. Master of Science in Clinical Engineering - oferecido pela Universidade de Toronto - Canadá.

  3. Clinical Engineering Certification - oferecido pela ACCE - Association for the Advancement of Medical Instrumentation - USA.

  4. Pós-graduação em Engenharia Clínica e Hospitalar - oferecido pelo Instituto Navigare - Brasil.


Onde e por que fazer especialização em Engenharia Clínica?

Você será um estudante pelo resto da sua vida. Se você fará isso através dos caminhos acadêmicos ou será um autodidata, a opção é sua, mas parar de estudar não é uma alternativa viável no mercado de hoje. Fazer uma pós-graduação pode ser uma boa saída. Mas, não apenas para ter um certificado que ficará guardado na sua estante.

A escolha de um boa Pós-graduação ou MBA na área da Engenharia Clínica deve ter por base 3 coisas:

1) professores que sejam formadores de opinião nos seus setores;

2) uma turma que possua profissionais que já atuem na área, permitindo um forte networking; e

3) disciplinas alinhadas com a prática do mercado.

Em uma Pós em Engenharia Clínica ou Hospitalar é fundamental que você veja, pelo menos, as seguintes áreas ou módulos:

1. Engenharia Clínica e Automação Hospitalar

2. Gerenciamento de Obras em Ambiente Hospitalar

3. Engenharia Clínica na Gestão e Certificação da Qualidade Hospitalar

4. Metrologia e Calibração em Equipamentos Médico-Hospitalares

5. Tecnologias em Equipamentos de Imagem

6. Engenharia Clínica no Controle de Infecções Hospitalares

Sãos áreas relevantes do setor para que você tenha capacidade técnica de atuar no seguimento de forma segura.

Você deve estar pensando: legal, mas isso só é possível para quem puder desembolsar grandes valores. Nada disso! Existem instituições de ensino que ofertam Pós-Graduações na área da engenharia clínica em alto nível e com um justo custo-benefício, como a Pós-Graduação do Instituto Navigare (link). Vale a pena conferir. Quer saber mais sobre a pós? Entre contato diretamente com na nossa consultora:


ANVISA dispõe que é obrigatório um profissional para o gerenciamento de tecnologias nos hospitais

Segundo RDC/ANVISA n° 02/2010, existe a necessidade de um profissional de nível superior para o gerenciamento de tecnologias em cada Estabelecimento de Saúde. Vale citar a norma:

Art.8º. O estabelecimento de saúde deve designar profissional com nível de escolaridade superior, com registro ativo junto ao seu conselho de classe, quando couber, para exercer a função de responsável pela elaboração e implantação do Plano de Gerenciamento de cada tecnologia utilizada na prestação de serviços de saúde.

Tal exigência fez com que aumentasse a procura por este profissional no mercado de trabalho.

Embora a norma silencie quanto ao melhor profissional para a elaboração de um plano de gerenciamento, é claro que, dada a carência de especialistas na área, o profissional que possui uma especialização em Engenharia Clínica sai na frente, e será mais procurado.

Além disso, os CREA's já vem realizando fiscalizações em estabelecimentos de saúde que não possuam um profissional responsável técnico pelo setor de engenharia clínica, razão pela qual a tendência é que exista maior demanda por este profissional. Outro fator que, sem dúvida, aumentou substancialmente a demanda pelo profissional foi a pandemia do COVID-19.

Quer saber mais sobre como e onde fazer uma Pós-Graduação em Engenharia Clínica? Confira aqui. siga nossas redes sociais e fique por dentro das novidades!











1 Komentar


mesquitajosefabio
19 Mar 2022

gostei

Suka
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone LinkedIn
  • Preto Ícone YouTube
bottom of page